Última atividade de 2019 do projeto Voto Jovem na Escola é promovida em São Luís

Palestras educativas buscaram conscientizar os jovens - que deverão votar pela primeira vez nas Eleições 2020, sobre a importância do voto

Na tarde do dia 12 de dezembro, o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão realizou palestra como sendo a última atividade do projeto Voto Jovem na Escola para alunos com idade de 15 a 17 anos do Centro de Ensino Integrado Professora Dayse Galvão Sousa, localizada na Vila Embratel, em São Luís. (Acesse o álbum de fotos no Flickr).

A ação, que é fruto da parceria envolvendo a Corregedoria Regional Eleitoral e Escola Judiciária Eleitoral, já alcançou mais de mil estudantes da capital, fomentando novas ideias e questionamentos acerca da política, além de trazer mais esclarecimentos acerca do funcionamento da urna eletrônica, segurança do voto, mecanismos de combate às fraudes, recadastramento biométrico, notícias falsas e democracia, entre outros.

Iniciando o evento, o desembargador Tyrone Silva, corregedor e vice-presidente do TRE, reforçou o caráter educativo do projeto, que sempre busca estimular o protagonismo juvenil na política, já que a ideia é envolver os jovens no assunto e fortalecer o interesse dessa faixa etária em participar da vida política, contribuindo, assim, para o destino do país. “Os jovens de hoje são os homens e mulheres do amanhã. Por isso, é importante a interação, indagações e participação de vocês na vida política”, pontuou.

Com o tema “O Poder é do Eleitor!”, o juiz de direito da 1ª Vara da Infância e Juventude da capital, José Américo Abreu Costa, abordou assuntos como os conflitos sociais e a sobrevivência humana, o surgimento da democracia e das Constituições, a importância do voto e o controle do poder do Estado, entre outros. Destacou que a participação do jovem eleitor envolve uma renovação de pensamentos, questionamentos da realidade política e reflexões a partir da realidade econômica, social e familiar.

Ressaltou ser muito importante que os eleitores, sobretudo os jovens, tenham senso crítico na hora de votar, devendo acompanhar a atuação dos candidatos, comparando promessas de campanha com a atuação no parlamento. “Ninguém pode obrigar você a votar em quem não quer, assim como você também não é obrigado a revelar em quem você votou. Esse é um poder relativo ao direito de votar”, enfatizou.

Já o servidor Rhycleyson Campos Paiva Martins, assessor da Corregedoria, aproveitou a oportunidade para esclarecer aos estudantes alguns procedimentos e requisitos do processo eleitoral, desde o registro de candidatura e possíveis impugnações até a hora da votação com o correto funcionamento das urnas eletrônicas nas seções eleitorais.

Ao final, a gestora-geral da escola Dayse Galvão, professora Lílian Dias de Assunção, agradeceu a presença do Regional, ressalvando o engajamento político e solidário dos alunos na vida daquela comunidade.